Pilar, Pedra e Faca

by Grievance

supported by
/
  • Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.

      €5 EUR  or more

     

1.
2.
03:28
3.
05:22
4.
05:43
5.
03:48
6.
05:06
7.
8.
9.

about

The second album of the Portuguese band Grievance, Black Metal from the southern western plains.

credits

released October 24, 2016

All Music, Lyrics and Voices Performed and written by Koraxid, except "Subliminar Voz Interior" - Music performed and written by Tiago da Neta. Special guests for this album: Tiago da Neta (Portuguese Guitar on tracks 06, 08 and 09) and Joaquim "Vulture" Moreira (Electric Bass Guitar in tracks 06 and 07).

tags

license

all rights reserved

about

Grievance Caldas Da Rainha, Portugal

Statements of Koraxid's reveries, the mark of an almost twenty-year old walk in the paths of this misterious, magical and occult musical wasteland. A statement to disruption bled in rituals unseen and now awaken.

contact / help

Contact Grievance

Streaming and
Download help

Track Name: Mensagem Secreta
Instrumental
Track Name: Fortaleza
Fortaleza, muro
Rampa que pode dar a algum lado
Mas que muitas vezes apenas
Prende a alma e a sufoca
Sem ar, tez roxa
Obscurantismo que me prende a mim
Sala escura, forca, rede de farrapos em banho Maria
Numa sopa de sangue que escorre
Da minha alma
Que escorre sem fim das artérias cortadas
Vasos sanguíneos
No vago esplendor do horizonte...
Track Name: O Novo Dia
Sorvo o liquido avermelhado que inebria os sentidos
Àvidamente, incansavelmente, incessantemente
Até que adormeça
E sonhe com o verdadeiro sentido da existência presente
O qual e fruto de épicas batalhas na minha mente
De indagações e voluptuosos devaneios.
Busco, procuro
Sorvo mais um trago desta existência...
Até que o sonho me indique o novo dia
O novo dia.
Track Name: Desconstruir
Desconstruir. Desenvolver.
Aniquilar os tão estreitos andares da torre da memória
As memórias...
Fui por muito tempo
Um estreito bazar de ridículas farpas
Inundadas do mais pálido sangue
O esgar de olhar, o que nunca se saberá
O que já sei...
Respiração
Que balboceia palavras gastas
E situações que nem quero relembrar.
Resolução, progressão, intuição.
Sigo a alvorada
Sigo-me apenas a mim.
Track Name: Náusea
Infalível descarga de ódio reprimido
O sorriso morreu espezinhado
E misturado numa sopa de larvas engordadas
Na podridão da carne nojenta.
Nauseabundo fedor a vazias e ébrias saudações
Ao deambulante espírito
Sol vermelho
Sangue vermelho
Água fria que me banha os olhos
Embutido, fervorosamente enlaçado feitiço
Vontade de renascer
Tudo num só eu
Track Name: Pragas
Mil pragas rogadas em noites de desespero
Em que o corpo vence o espírito e o espírito contorce-se
Em vómito de sangue
Bílis entornada
Alma rasgada
Cálice de vermelhidão soturna
Noturna

E eles desprezaram
E eles espezinharam
E eles mataram
E sufocaram...

Mas eu estou vivo!
Respiro o pó do passado
Injeto o aditivo fétido do presente
Aqui estou, pilar, pedra e faca
Agora não te aguardo
Agora procuro-te, ávidamente...
Track Name: Um Trono Vazio
Um trono vazio
Um caos sentido
Alterado
Mumificado
Uma turba que se desfaz
Em torpes dias
Sem sentido
Aqui estou para retificar
Um trono vazio
Um caos sentido
Alterado
Mumificado
Track Name: Subliminar Voz Interior
Instrumental
Track Name: Agora e Sempre
Agora
Já neste momento
Nesta hora
Neste dia
Quebro as correntes
Que me prendem ao desvario mortal
Viro-me para mim e despoleto todas as armas
Sem concessões
Sem vazios perdoes
Sem pudor
Oh energia que me possui, que me inebria!
Oh lua cheia eterna no seu lúgubre olhar
Natureza que sou
De onde vim e para onde vou
Chão que e chão
Éter que é éter
Poder total, inequívoco
Pertences-me!
Agora e sempre!